Redes Sociales
Redes Sociales

Salud

Casos de hanseníase crescem 20,82% em Mato Grosso

Atualmente, 5.942 pessoas estão em tratamento para a cura da hanseníase, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Ses-MT).

Em apenas um ano, o número de casos de hanseníase cresceu 20,82% em Mato Grosso, que é considerado há anos o Estado com o maior índice da doença. A taxa de descoberta, em 2017, foi de 105,2 casos por 100 mil habitantes com registros de 3.477 casos novos da doença. Já em 2018, foram registrados 4.201 novos casos, com 125,6 casos por 100 mil habitantes. Atualmente, 5.942 pessoas estão em tratamento para a cura da hanseníase, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Ses-MT).

Doença silenciosa, crônica e que causa incapacitação, a hanseníase é infectocontagiosa sendo transmitida pelo ar, geralmente em ambientes fechados e pela proximidade e contato prolongado. Mesmo sendo uma doença típica de local tropical, o médico dermatologista Igor Bottura acredita que a hiperendemia se alastra devido a deficiência da saúde pública, uma vez que o tratamento é oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). "A endemia está fora de controle por falta da atenção e negligência do poder público", afirma. 

Se detectado precocemente, em 6 meses o paciente pode ser totalmente curado. Porém a doença pode levar até 7 anos para se manifestar. Bottura afirma que são raros os casos em que a hanseníase leva a morte, mas que o principal problema é a incapacidade física que ela causa. "As pessoas perdem a sensibilidade da mão, força muscular das pernas, podem ficar cegas ou até mesmo adquirir deformidade nas extremidades do corpo, deixando as pessoas limitadas", explica. 

Os sinais típicos da doença são manchas claras ou avermelhadas, falta de sensibilidade pontual ao quente ou gelado, dormência nas mãos, braços e pés e a perca da força nas pernas. 

Todo o último domingo do mês de janeiro é comemorado o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, marcado também por ações de enfrentamento e conscientização do tratamento da doença através da campanha Janeiro Roxo. Para o médico, a ação vem de encontro a desconstrução do preconceito tido com a enfermidade mais antiga da humanidade, que era conhecida como lepra.

"Esta campanha é muito importante para a conscientização da população a buscar a prevenção e tratamento, para que futuramente não só o nosso estado, mas o país possa sair dessa lista negra da hanseníase. Há que se fazer esclarecer sobre a doença para acabar com o preconceito e isolamento dessas pessoas. A transmissão da hanseníase não ocorre pelo contato físico, não é pelo beijo ou abraço", explica ao frisar o sofrimento causado pelo preconceito às pessoas com a doença. 

Comentarios
Aviso Legal: Cualquier texto publicado en internet atravez deAmambay Noticias , does not reflect the opinion of this site or its authors and is the responsibility of the readers that publish.

Locales

Ola de homicidios ante inacción policial en Pedro Juan Caballero

Uno de los sangrientos suceso se registró en la tarde de ayer, a las 19:00 aproximadamente, en la línea internacional, lado brasileño. De acuerdo a los datos, Rafael Romero Riveiros (28 años) transitaba sobre la céntrica avenida Gaspar Rodríguez de Franci

Ola de homicidios ante inacción policial en Pedro Juan Caballero
Foto: Automovil de la Victima de Homicidio
Continuar Leyendo

Nacionales

CONES habilita curso de medicina de la #UCP en Ciudad Del Este y autoriza Maestría en Salud Pública .

En su primera Sesión Plenaria de este mes el Consejo Nacional de Educación Superior del Paraguay habilitó el curso de Medicina de la Universidad Central Del Paraguay (UCP) de Ciudad Del Este, autorizó la oferta de vacancias para la Mestría en Salud Públi

CONES habilita curso de medicina de la #UCP en Ciudad Del Este y autoriza Maestría en Salud Pública .
Foto:
Continuar Leyendo

Turismo

PADRES DE FAMILIA Y ALUMNOS DEL COLEGIO NACIONAL 8 DE DICIEMBRE CIERRAN MEDIA CALZADA DE LA RUTA 6

PADRES DE FAMILIA Y ALUMNOS DEL COLEGIO NACIONAL 8 de Diciembre de la misma comunidad se manifiestan ante la falta de rubros que aqueja a esta institución.Ante la falta de asistencia del Gobierno ante el pedido procedieron al cierre de media calzada d

PADRES DE FAMILIA Y ALUMNOS DEL COLEGIO NACIONAL 8 DE DICIEMBRE CIERRAN MEDIA CALZADA DE LA RUTA 6
Foto: CIERRE DE RUTA

Los Padres y Alumnos reclaman mayor asistencia y sobre todo atención por parte de las Autoridades del MEC.

Por esta situación se ve dificil que los alumnos deo bachillerato puedan avanzar con su formación académica teniendo en cuenta la falta de  docentes.

 

Esta mañana iniciaron la movilización que sostendrán hasta que exista una solución a su reclamo. Aproximadamente 60 alumnos acompañados de sus padres y vecinos se encuentran apostados en el lugar.

Continuar Leyendo

Más leídas de la semana